Segunda fase do vestibular 2019 da Fuvest terá mudanças

Categorias: Notícia,Notícias

O vestibular 2019 da Fundação Universitária para o Vestibular (Fuvest), que seleciona estudantes para a Universidade de São Paulo (USP), terá mudanças. A informação foi divulgada nesta segunda-feira (21) pelo Jornal da USP.

A principal alteração no processo seletivo é a diminuição de três para dois dias de provas na segunda fase, que serão aplicadas em 6 e 7 de janeiro de 2019. No primeiro dia, os candidatos irão enfrentar as questões de português e redação, que permanecem iguais aos vestibulares anteriores. No entanto, no segundo dia haverá disciplinas específicas (ou seja, aquelas exigidas pela carreira escolhida), cuja quantidade aumentou de duas a três para duas a quatro, a critério de cada unidade.

Alteração na prova da 2ª fase da FUVEST

“A USP adotou essa mudança pensando no estudante. O processo seletivo para entrar em uma universidade pública é desgastante. Em vez de ficarem 72 horas sob o estresse de provas, agora serão dois dias”, disse o pró-reitor de Graduação Edmund Chada Baracat ao Jornal da USP.

Até o processo de seleção 2018, a segunda fase era composta de três provas discursivas realizadas em três dias seguidos. No primeiro dia, eram resolvidas dez questões de português e uma redação; no segundo dia, 16 questões sobre disciplinas obrigatórias do ensino médio e, no terceiro dia, 12 questões de disciplinas relacionadas à carreira escolhida pelo candidato.

Não foram anunciadas alterações na primeira fase do vestibular, que é composta por 90 questões objetivas sobre as disciplinas obrigatórias do ensino médio. Essa etapa será aplicada em 25 de novembro.

Inscrição.

A Fuvest também apresentou modificações na inscrição dos candidatos. No ano passado, a USP adotou um sistema de reserva de vagas para os estudantes oriundos de escolas públicas e alunos de escola pública autodeclarados Pretos, Pardos e Indígenas (PPIs).

Para a aplicação dessa resolução, o processo seletivo adotará inscrições por modalidades de vagas. Ao escolher sua carreira e seu curso, o vestibulando terá três opções: Ampla Concorrência (AC), Ação Afirmativa Escola Pública (EP) e Ação Afirmativa Preto, Pardo e Indígena (PPI).

AC: vagas para todos os candidatos sem exigência de nenhum pré-requisito;

EP: vagas destinadas aos candidatos que, independentemente da renda, tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas;

PPI: vagas destinadas aos candidatos e autodeclarados pretos, pardos e indígenas que, independentemente da renda, tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas.
 

Para o vestibular 2019, a USP reservará 40% de suas vagas, por curso, para estudantes de escola pública, considerando Fuvest e Sistema de Seleção Unificada (Sisu), outra forma de ingresso na universidade. Desses 40%, ainda incidem 37,5% de reserva de vagas para PPIs. Com essas mudanças, a concessão de bônus deixa de existir. 

O valor da taxa de inscrição não foi alterado, permanecendo em R$ 170.

Processo de Reescolha.

Além disso, a Fuvest não terá mais o Processo de Reescolha. O recurso era oferecido após a sexta chamada aos candidatos que fizeram a segunda fase do vestibular e não foram convocados para o curso pretendido; com isso, eles podiam se matricular em outros cursos com vagas disponíveis.

No vestibular 2019, o número de chamadas de aprovados passará de seis para cinco. De acordo com o pró-reitor de Graduação, isso foi decidido porque mais vestibulandos serão convocados para a segunda fase. “Serão chamados quatro vezes mais candidatos que o número de vagas da carreira. Antes, o máximo era de até três vezes.”

Após as cinco chamadas, se ainda houver vagas não preenchidas, elas serão disponibilizadas nos processos de transferência interna e externa da USP.

Fonte: Guia do Estudante

Deixe uma resposta