Exemplos de universidades do Reino Unido que consideram a nota do ENEM ou Vestibular

Tags:, , ,

Categorias: Notícia,Notícias

Se você pretende estudar no Reino Unido, esta pergunta já deve ter passado pela sua mente: será que eu posso usar minha nota do ENEM ou do Vestibular para entrar em uma universidade do Reino Unido? A resposta é mais complexa do que simplesmente sim ou não.

Como o processo seletivo do país é holístico, assim como nos Estados Unidos e diferente do brasileiro, vários fatores influenciam a admissão dos estudantes em uma graduação, principalmente de estrangeiros, que também precisam comprovar proficiência na língua inglesa e a equivalência dos certificados de ensino médio.

Sabe-se que o estudante que pretende cursar uma graduação no Reino Unido precisa começar a se preparar desde cedo e manter um ótimo desempenho durante todos os anos de colegial, uma vez que as médias no histórico escolar contam na decisão da universidade britânica.  Quanto melhor o seu desempenho, maiores as suas chances de admissão.

 estudar-reino-unido

Neste mesmo sentido, uma boa nota no ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) e/ou no Vestibular pode contar também para a sua admissão no Reino Unido, mas isso varia de instituição a instituição, portanto deve ser analisado caso a caso.

O ideal é entrar em contato direto com as universidades britânicas nas quais você pretende se inscrever para admissão e verificar com elas a possibilidade de usar as suas notas nos exames brasileiros.

Mas antes de darmos exemplos reais de universidades que aceitam a nota do ENEM/Vestibular, é importante saber o que significa foundation year!

Foundation year

Na grande maioria dos casos, todos os estudantes internacionais admitidos em uma graduação no Reino Unido precisam obrigatoriamente passar por um ano introdutório de estudos chamado de foundation year ou foundation course. Basicamente, este programa prepara o estrangeiro para o sistema de ensino superior do país.

Na grade curricular, o estudante terá aulas de metodologia de pesquisa, anotações em sala de aula, redação e trabalhos universitário, estudo dirigido, entre outras, e também aperfeiçoará a proficiência no inglês para os estudos acadêmicos.

Portanto, mesmo que você seja admitido no Reino Unido, muito provavelmente você começará os estudos pelo foundation year ao invés de dar início imediatamente à graduação.

Exemplos de universidades do Reino Unido que consideram a nota do ENEM ou Vestibular

A seguir, listamos cinco exemplos reais de universidades do Reino Unido que consideram a nota do ENEM e/ou do Vestibular para a admissão de estudantes brasileiros em suas graduações.

É importante notar que cada um é um caso específico e possui os seus próprios requisitos!

Os exemplos listados abaixo servem como base para conhecer as possíveis regras de seleção estipuladas especificamente a candidatos brasileiros por universidades britânicas. Uma série de outros documentos deverá ser providenciada além dos listados abaixo, inclusive comprovação de proficiência na língua inglesa.

1. University of Bristol

A Universidade de Bristol tem regras específicas para a admissão de brasileiros. Para ser selecionado ao primeiro ano de suas graduações, o candidato precisa se encaixar em um destes dois casos:

Caso 1 - O candidato brasileiro precisa ter:

  • Uma boa nota no Certificado de Ensino Médio;
  • Resultado acima da nota de corte no ENEM/Vestibular/PAS;
  • Concluído com sucesso um programa de foundation adequado.

Caso 2 – O candidato brasileiro precisa ter:

  • Concluído com boas médias o primeiro ano de uma graduação (licenciatura ou bacharel) em uma universidade brasileira.

Ou seja: para conseguir entrar direto no primeiro ano de uma graduação da Bristol, o brasileiro precisa já ter um foundation do Reino Unido ou um ano de ensino superior no Brasil!

2. Kingston University

Para ser admitido ao primeiro ano de uma graduação da Kingston University, o candidato brasileiro precisa de duas coisas:

-Um destes diplomas de ensino médio:

  • Certificado de Conclusão do Segundo Grau com nota média superior (MS) ou acima (SS);
  • Certificado de Ensino Médio com uma destas médias: 7 ou mais; Bom, Muito Bom ou Excelente; A ou B;
  • ENEM: 55% ou mais;
  • Diploma de Bacharelado Internacional.

-Nota 5/10 ou mais em um Concurso Vestibular.

A Kingston avisa em seu site oficial que cada inscrição é avaliada individualmente e outras qualificações/experiências de trabalho do candidato também podem ser consideradas.

3. University of Glasgow

Localizada em Glasgow, a maior cidade da Escócia, a Universidade de Glasgow informa em seu site oficial que ela é “popular entre estudantes do Brasil desde 1811, quando nosso primeiro estudante brasileiro, Ignacio Josep de Araújo Vieira, do Rio de Janeiro, estudou Ética na Universidade”. Atualmente, ela recebe mais de 75 brasileiros e quer acolher cada vez mais estudantes do país.

A University of Glasgow considera a nota do ENEM/Vestibular/PAS de candidatos brasileiros para a admissão no programa de foundation oferecido pela Glasgow Internacional College, uma escola especializada em preparatórios universitários localizada no campus da Universidade.

O estudante que concluir com sucesso o foundation programme consegue progredir para o segundo ano da graduação escolhida na University of Glasgow.

A instituição também aceita um Bacharelado Internacional com pontos entre 30 e 34 para a admissão direta na maioria das escolas da Universidade.

4. University of Oxford

A renomadíssima Universidade de Oxford – a melhor do mundo, segundo a mais recente versão do ranking da Times Higher Education – tem uma lista oficial de qualificações obrigatórias para cada um dos países, do Afeganistão ao Zimbábue. “Você pode cursar qualquer uma destas qualificações em qualquer país, desde que preencha os requisitos gerais de admissão”, explica em sua página oficial.

O item Brazil da lista traz o seguinte aviso: “O Certificado de Ensino Médio ou exame de admissão universitária (Vestibular, ENEM, PAS) não será suficiente para ter uma inscrição competitiva”.

Segundo a mesma página, isto significa que o candidato precisa aprofundar os estudos para conseguir a admissão, seja com um A-level britânico, um Bacharelado Internacional ou qualquer outra qualificação oficial da lista da Oxford.

A seleção na University of Oxford é extremamente concorrida; os tutores costumam analisar mais de 19.000 candidatos por ano para preencher apenas aproximadamente 3.250 vagas. Por isso, mesmo sendo necessário ter as qualificações brasileiras para participar do processo seletivo, elas não serão suficientes para que a sua inscrição seja considerada forte.

5. Birkbeck, University of London

A Birkbeck (BBK) faz parte da prestigiosa Universidade de Londres. O seu diferencial é o horário de suas aulas, que são ministradas no período da noite!

A instituição tem três condições diferentes para a admissão de estudantes brasileiros:

Caso 1 – Candidatos brasileiros com um Certificado de Ensino Médio ou Vestibular/ENEM/SAEB/PAS serão admitidos ao curso de foundation. Uma vez concluído o ano introdutório, os estudantes podem progredir automaticamente à graduação da BBK.

Caso 2 – Candidatos brasileiros que já tiverem completado um ano de uma graduação no Brasil (Bacharelado/Licenciado/Titular Profissional) com média mínima de 7.5/10 serão considerados à admissão direta à graduação.

Caso 3 –  Os candidatos brasileiros com um Diploma de Bacharelado Internacional com pontuação entre 28 e 30 serão considerados à admissão direta à graduação.

Cada caso é um caso

Como podem ver pelos exemplos, cada caso é um caso e deve ser analisado cuidadosamente. Existem regras e exigências para cada nacionalidade, que variam de acordo com a universidade. Portanto, sempre entre em contato direto com as instituições para verificar a melhor opção para a sua inscrição.

No geral, como informa o UCAS, serviço central de admissão universitária do Reino Unido, o Certificado de Ensino Médio brasileiro é considerado abaixo do padrão britânico de A-level, mas é aceitável para a admissão em programas de foundation year.

Fonte: http://vestibular.brasilescola.uol.com.br/

Deixe uma resposta